[ contato@ngarteprodutoracultural.com.br |(21) 3071-6864|(21) 97915-7626 ] Compartilhar: Facebook Google+ Twitter Addthis

Elda Evelina é artista visual, palestrante e escritora. As capas e ilustrações de seus livros, em sua essência de conteúdo espirituais, são criações suas. Suas obras (artes plásticas e eletrônicas), livros, palestras, mensagens e cartões estão publicados no site eldaevelina.com e seus livros também estão disponíveis no site bookess.com.br/profile/eldaevelina."



Confira as mensagens de Elda Evelina!
Todos os meses mensagens de conteúdos essencialmente espirituais que proporcionam reflexões sobre a vida ilustradas com obras de arte da artista.





Envelhecer com sabedoria

 
⇧  Clique para ampliar
Obra: Jardim de Paz

Ao longo de vários dias fiquei pensando em como abordar esse tema tão promissor.

Muitas pessoas não querem pensar a respeito do envelhecimento do corpo e da mente. Têm receio do que isso venha representar em suas vidas.

No entanto, como todos nós trilharemos pelo caminho do passar dos anos, alguns mais, outros nem tanto, melhor seria termos a tranquilidade em enfrentar a realidade e aprender com o que há de melhor nesse caminhar.

Nosso corpo físico é um equipamento muito sofisticado, resistente a várias intempéries que nos sobressaltam ao longo da existência.

Diz-nos Joanna de Ângelis: “Essa aparelhagem sem similar é ativada por sistemas especiais emissores de energias que procedem da mente, circulando em todo o organismo, mente que, por sua vez, é instrumento de manifestação do Espírito, quer consciente ou não da sua existência e significado. ... através dela o Espírito pode desenvolver o seu deus interno, cantando as glórias de Deus...” (1)

Nesse revestimento, de que se utiliza o Espírito para se manifestar no mundo físico, encontram-se dispositivos que expressam a inteligência, as emoções, as tendências.

É importante que tenhamos por ele imenso carinho para que possa auxiliar-nos a cumprir nossos compromissos ao longo da nossa jornada terrena.

Um dos aspectos que devemos observar é o de resguardá-lo das agressões internas, entre eles os sentimentos desarmoniosos – ódio, rancor, mágoa, por exemplo.

Quando nosso Eu está em harmonia, melhor trabalha no que lhe é necessário ao processo evolutivo, proporcionando maior eficácia no cumprimento de seus propósitos. Em sendo assim, superamos os impositivos dissonantes existentes em nosso passado e transformamos nosso caminhar em efetivo progresso espiritual.

Envidar esforços no autoconhecimento, identificar o que há de melhor em nós e aplicar no despertar da consciência para atingir o estado de felicidade espiritual.

Nós somos os verdadeiros agentes do nosso insucesso e do nosso progresso. Muitas vezes transferimos a responsabilidade do que nos ocorre a algo que está externo a nós, inimigos reais ou imaginários. Nós nos esquecemos, ou não queremos reconhecer, que esses jamais logram êxito em qualquer campanha contra nós se nos mantivermos lúcidos em nossas crenças e preservarmos nossos valores morais e harmonia interior.

O corpo é o instrumento, como dissemos antes, através do qual o Espírito exercita aprendizados amealhados ao longo de existências anteriores e agrega novos conhecimentos procedendo o seu caminhar de evolução.

É muito importante, portanto, que tenhamos consciência da responsabilidade em buscar o conhecimento, tanto intelectual quanto o espiritual, como também a sabedoria em utilizar esses conhecimentos para um caminhar comprometido com o progresso espiritual.

E como fazer isso? Como aplicar o que aprendemos para atingir esse objetivo?

Estar sempre atento a tudo o que ocorre. Todas as coisas que acontecem ao longo da vida sempre têm algo a nos oferecer como aprendizado. Em geral não prestamos atenção às lições que a vida nos oferece, por vezes, de forma sutil.

Estar sempre aberto ao novo, ao inusitado, a novas criações e fantasias, sem preconceitos.

Deixando nossas mentes abertas ao novo e aos sonhos, transformamos nosso viver, de uma simples coletânea de vivências, em explosões de alegria, de amor, conquistas, realizações úteis e gratificantes.

Saber colher de cada oportunidade, cada experiência, o ensinamento ali contido.

Estar disposto a compartilhar o conhecimento adquirido, tornando o mundo melhor para si e para os outros.

Ao longo de nossas vidas, precisamos buscar modelos como referências de valores, conceitos e comportamentos. No entanto, chega um momento em que precisamos encontrar e exercitar nossos próprios valores e conceitos para fazer nosso próprio caminho. Tão mais válido o nosso caminhar a partir daí, mais útil seremos no processo transformador.

Passaremos a ser referencial a outras pessoas que ainda estão no patamar de precisarem deles para formar o próprio alicerce de conceitos, valores e crenças.

Diz-nos, ainda, Joanna de Ângelis: “Trata-se do empenho pelo autodescobrimento, pela auto-iluminação, pela superação das heranças ancestrais geradores de inquietação e sofrimento. Quando o indivíduo puder olhar-se com serenidade, sem culpa nascida no passado, sem saudades dele ou ansiedades pelo futuro, na expectativa do vir-a-ser, nada obstante os conflitos que lhe permaneçam, terá conseguido avançar decisivamente no rumo da autorrealização, portanto, de uma vida harmônica. Essa conquista não impede a luta contínua, porque a evolução não tem limite, e quanto mais se adquire conhecimento mais se ampliam os horizontes do saber e as indagações em torno do existir, do Cosmo, da vida em si mesma.” (1)

O Espírito – princípio inteligente do universo – tem como tarefa a cumprir a auto-iluminação. Deverá despertar suas potencialidades e desenvolvê-las para alcançar êxito no seu caminhar evolutivo. Deverá valer-se de equipamentos psicológicos que lhe propiciem condições para esse empreendimento.

Um dos mais valiosos equipamentos psicológicos é a alegria de viver. Através desse sentimento identificaremos significado em tudo o que nos ocorre e teremos como separar o que nos proporciona superação, tranquilidade, daquelas que promovem nosso desequilíbrio e sofrimento. A partir dessa identificação, poderemos fazer nossas escolhas de forma consciente e desenvolver ações eletivas que culminarão no nosso crescimento emocional e espiritual. Estaremos desenvolvendo a sabedoria do viver.

A alegria e a sabedoria de viver exigem que tenhamos procedimentos saudáveis – análise antes de agir e reflexão constante sobre nossas atitudes – para identificar nossos erros, transformando-os em oportunidades de acertos pela compreensão do agir.

Ao identificarmos algo em nós que nos dificulta enfrentar melhor a vida, a sermos mais conscientes, a agirmos com mais lucidez e tranquilidade, precisamos nos mobilizar para nos transformarmos.

Dizer que somos dessa ou daquela forma e, por isso, não conseguirmos ser diferentes, só vai fazer com que cristalizemos ainda mais a nossa condição.

A alquimia do viver está na transmutação da nossa sombra em luz. A conquista da sabedoria em identificar o que é ou não necessário à nossa evolução nessa jornada existencial.


(1) Do livro “Em busca da verdade”, por Divaldo Franco



MAIS DE ELDA EVELINA



  Clique aqui para ver o site de Elda Evelina

  Contato: elda@eldaevelina.com

Compartilhar: Facebook Google+ Twitter Addthis