ELDA EVELINA
Brasília - DF

Elda Evelina Vieira, nome artístico – Elda Evelina.

Navego por várias expressões, tenho um sentido sempre pronto a acolher o novo e buscar uma forma de oferecer minha arte com novos formatos e técnicas.

Na verdade, eu tento encontrar uma maneira diferente e quem sabe inusitada de dizer o que sinto e mostrar o que minha Alma guarda, quem sabe há séculos ou milênios.

Sei que sou um espírito velho, mas sempre a sentir-se novo e renovado.

Sou mineira de nascimento e moro em Brasília desde 1959. Sinto-me uma mineira candanga, abracei essa terra e tenho por ela imenso carinho.

Na minha infância e adolescência estudei música – piano, violão, teoria musical e até mesmo um pouco na área da composição. Estudei declamação e aprendi a desenhar. O expressar-me através do desenho encantou-me e nunca mais deixei de brincar com o papel e o lápis. Cheguei mesmo a exercitar a arte com o nanquim.

Tive aulas de pintura quando jovem com o artista Glênio Bianchetti. Foi por pouco tempo, creio que por dois anos, mas sedimentou em mim o amor pela arte sobre tela.

Também na minha adolescência eu já escrevia pequenos textos – poesias, reflexões e coisas que tais.

Durante muito tempo, por exigências profissionais, dediquei-me aos textos técnicos. No entanto, houve um momento em que despertei interesse também por outros tipos de escrita.

Em 1996 escrevi o meu primeiro livro, não obstante haver mantido o meu interesse pelos textos tipo crônicas, artigos, poemas, reflexões sobre a vida, o ser humano e outros.

No ano 2000 resolvi dedicar-me à arte de forma profissional. Fiz inscrições em associações de artistas, fiz contato com galerias. Mais à frente fiz meu registro como Artista Plástica Profissional junto à Secretaria da Cultura do GDF, bem como Agente Cultural nas áreas de Artes Plásticas e de Literatura.

Ao longo de vários anos participei de exposições tanto em âmbito nacional como internacional. Obtive algumas premiações tanto no Brasil como no exterior. Tenho algumas obras em acervos como STJ Superior Tribunal de Justiça, Caixa Cultural, Ministério do Exército - Batalhão da Guarda Presidencial – Batalhão Duque de Caxias, como também uma no exterior, em Londres.

Em 1998 fui convidada para proferir minha primeira palestra. Desde então tenho me dedicado a esta arte da comunicação continuamente. Gosto muito, principalmente porque me oportuniza novos estudos e olhares para o conhecimento.

Compartilhar minha arte – pinturas, livros, por exemplo – é algo que me encanta e me mobiliza continuamente.

Tenho dois sites
– eldaevelina.com – livros, palestras, mensagens, notícias, cartões – postais produzidos com imagens que eu mesma capturo da natureza, cidades, animais, flores etc. – fotos;
– eldaevelina.com/obras – diversas expressões de arte: arte em tela, eletrônica, em papel, na madeira, cerâmica. Também aqui eu me expresso com palavras. Muitos dos meus trabalhos, na realidade a maioria, têm como complemento um texto, uma reflexão.

Atualmente estou com 26 livros publicados – a maioria na forma impressa e alguns só no formato digital. Quase todos estão disponíveis de forma gratuita no meu site, - eldaevelina.com - para ler e fazer downloads. Alguns também estão disponíveis para leitura gratuita no site da Bookess Editora - bookess.com.br.

Alguns da série denominada Mensagens, precisam ser ajustados para publicação, como os outros. Dois livros estão em fase de produção: Aprender com o Mestre – sobre o Amor, Reflexões da Alma, Volume III.

São estes os livros publicados:
- Renascendo do Amor
- Prece I e II
- Mensagens - Livros de I a IX
- Palavras do Coração
- Um novo caminhar
- Imagens e Mensagens
- Anjos do Coração e da Felicidade
- Viagens
- Alegria do Natal e outras histórias - coprodução com uma de minhas netas
- Reflexões Evangélicas I e II
- Evangelho é Amor I e II
- Reflexões da Alma I e II
- Arte em Cores, Formas e Letras
- Textos em contextos

Bem, creio que já consegui apresentar-me e vou ficando por aqui para deixar vocês conhecerem alguns dos meus trabalhos no catálogo de obras.

Deixo aqui, como sempre faço ao me despedir, abraços fraternos.